Skip to content

Medicamentos de alergia comuns podem prejudicar a função testicular

Os anti-histamínicos, comumente disponíveis sem receita médica e utilizados para tratar alergias, podem contribuir para a infertilidade masculina, de acordo com os resultados de pesquisas

Os autores do novo artigo argumentam que são necessários mais estudos que confirmem esta possibilidade e sugerem que as pessoas sejam avisadas sobre o excesso de uso dessas medicações.

O co-autor do estudo, Dr. Carolina Mondillo e a equipe, relataram seus resultados na revista Reproduction.  A histamina é uma molécula que o corpo produz quando o sistema imunológico é ativado por uma ameaça percebida.

Os histamínicos tentam remover as alergias do corpo induzindo espirros e demais secreções já conhecidas. Isso faz parte do sistema padrão de defesa do corpo – mas, em algumas pessoas, o sistema imunológico reage excessivamente a desencadeadores, como pólen, caspa ou poeira, e leva as histaminas a criar espirros. Os anti-histamínicos são os medicamentos mais utilizados para reduzir esses sintomas. No entanto, além de atuar sobre a histamina, também se descobriu que anti-histamínicos afetam outras áreas da saúde, criando efeitos colaterais indesejáveis ​​ligados ao comportamento da função sexual e fertilidade.

Como as alergias estão se tornando cada vez mais comuns nos países industrializados, o uso de anti-histamínicos também está aumentando, por isso é importante que cientistas e médicos compreendam melhor os efeitos colaterais ligados a esses medicamentos sem receita médica.

 

Conheça também: www.fertilidadedohomem.com.br

 

Anti-histamínicos reduzem a qualidade do esperma

Os pesquisadores do Instituto de Biologia e Medicina Experimental em Buenos Aires, Argentina, realizaram uma revisão sistemática de estudos em animais que investigavam associações entre histaminas e fertilidade. Eles analisaram os estudos de pequena e grande escala que ocorreram nas últimas 4 décadas.

A revisão descobriu que vários dos estudos relataram uma associação entre o uso de anti-histamínicos em animais machos e a função prejudicada dos testículos.

Os autores do estudo sugerem, então, que os anti-histamínicos parecem interferir com a produção de hormônios sexuais nos testículos, levando a deformação e a baixa contagem de espermatozoides.

É importante ter em mente que todos os estudos que Dr. Mondillo e colegas analisaram foram conduzidos em animais. Estudos em seres humanos que analisam a associação entre o uso de anti-histamínicos e a fertilidade masculina são limitados, por isso é difícil generalizar esses achados para humanos.

Serão necessários mais estudos

Outras pesquisas também serão necessárias para entendermos quais os prejuízos causados para a fertilidade masculina.

“Mais testes serão necessários para avaliar os possíveis efeitos negativos do anti-histamínico na saúde reprodutiva e sexual”, diz Dr. Mondillo. “Isso pode levar ao desenvolvimento de novos tratamentos para aliviar os sintomas de alergia sem comprometer a fertilidade”.

Os pesquisadores dizem que agora começarão a avaliar como as histaminas causam impacto nos tumores testiculares.

Em estudos anteriores, alguns outros medicamentos comuns também foram associados à infertilidade masculina, como bloqueadores dos canais de cálcio, antidepressivos tricíclicos e esteroides anabolizantes.

Ano passado, foi publicado uma característica sobre como a infertilidade pode afetar os homens. Nessa postagem foi analisado como algumas dicas de estilo de vida simples podem ajudar a reduzir o risco de infertilidade dos homens. Isso incluiu itens como: alimentação saudável, manter o peso certo, reduzir o estresse e ser fisicamente ativo. Também recomenda–se cortar o tabagismo, reduzir a ingestão de álcool e evitar roupas íntimas apertadas.

 

Acesse para saber mais:

www.ipgo.com.br

Seja o primeiro a comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *